A questão do benefício ou malefício dos planetas

Quem acompanha meu trabalho já me ouviu falando sobre momentos em que a características maléficas ou benéficas dos planetas ficam ressaltadas. É comum os comentários á defesa de Saturno quando menciono sobre sua condição maléfica e o argumento de que tudo é polar, e que o saturno pode ser benéfico. Mas, de acordo com os princípios astrológicos não. O que temos, são momentos em que este malefício se equilibra e produz estabilidade.

Além dos significados básicos de cada um dos sete planetas visíveis, podemos classificá-los de acordo com seu benefício ou malefício intrínsecos, ou adquiridos pelas condições no mapa.

O termo “benéfico” é derivado do termo grego agathopoios que literalmente significa “bom-praticante”, e o termo “maléfico” é derivado do termo grego kakopoios que significa literalmente “mau praticante”.

A ideia básica subjacente à noção de atribuições benéficas e maléficas na astrologia helenística é que os planetas benéficos tendem a indicar situações ou coisas diretamente favoráveis ​​ou construtivas na vida dos nativos e nos eventos em geral, promovem situações tidas como ” Boas ou positivas”. Por outro lado, os maléficos tendem a promover argumentos na vida dos nativos e em eventos em geral, ou, tendem a ser propícios à coisas subjetivamente vistas como “ruins” ou negativas.

O Sol e a Lua

O Sol e a Lua são geralmente considerados de natureza benéfica, e às vezes são chamados de dadores. No entanto, sob certas circunstâncias, ambos podem, atuar como “maléficos funcionais”. Por exemplo, um planeta que está dentro de 17 graus de uma conjunção com o Sol está sob os raios do Sol”, e é considerado debilitado, pois sua luz e significados são bloqueados ou dominados pelo Sol. Além disso, há a ideia de que a Lua Crescente é mais “benéfica” ou construtiva, enquanto a Lua Minguante mais “maléfica” ou destrutiva. Por exemplo, Dorotheus de Sidon diz que se você quiser começar a construção de um edifício, deve iniciar enquanto a Lua está crescendo e aumentando em sua velocidade, mas se você quer destruir um edifício, então você deveria fazer quando a Lua Está diminuindo e diminui em sua velocidade.

Mercúrio

Sobre Mercúrio , este pode ser benéfico ou maléfico dependendo dos aspectos com outros planetas. Se em aspecto com benéficos tornar-se também benéficos e com os maléficos torna-se maléfico.

O que significa na prática

Na prática o uso das características benéficas ou maléficas em uma análise depende do contexto do mapa. Do suporte ou prejuízo e dos demais planetas, das condições todas.

Em determinadas análises, o maléfico serve como um contraponto, um equilíbrio, ou á vezes um auxílio para uma condição de muita abertura com Vênus e Júpiter muitos fortes e influentes. Ele equilibra a visão de exagero e busca prazer.

Um benéfico em um mapa muito carregado de característica otimista, abertura e risco, funciona como um exagero e risco, falta de concentração, por exemplo.

Um benéfico forte em um mapa com muita característica tensa, gera esperança, um suspiro, a capacidade de crer.

Conclusão

A característica de benefício e malefício é intrínseca ao planeta, e funciona no conjunto do mapa.

A polaridade em muitos casos está na maneira como se reage a estas condições. Ou seja, o mapa não muda sua característica, mas o nativo pode olhar para a característica de malefício como aprendizado, como por exemplo, saber usar a delimitação de espaço de ação e adversidades. Isto não significa que ele mude o que o mapa aponta.

O que percebo é que a visão moderna da vida não quer lidar com os problemas de maneira prática, mas muitas vezes negá-los. Falar em limitação parece um ‘pecado”. A ideia do pode-se tudo, faz com tenhamos uma visão distorcida sobre nossas vidas, e colocar panos quentes onde há problemas sérios a resolver.

Related Posts

Leave Your Comment